terça-feira, 8 de janeiro de 2008

PRECONCEITO!!!


Hoje resolvi ler vários Blogs e Comunidades ligadas à Segurança Pública e os comentários sobre os artigos dos mesmos.
Fiz isto, por sentir-me aborrecida com a inércia de muitos e talvez instigada pelo artigo “A COESÃO DOS MILITARES DE POLÍCIA E A TURMA DO OUTRO LADO DO MONITOR” do blog do Cel. Paulo Ricardo Paúl,
http://www.celprpaul.blogspot.com/ .

Confesso que não tenho ultimamente lido muitos Blogs sobre o assunto – PMERJ - como da mesma forma não tenho lido muitos outros Blogs de assuntos diversos. Final e começo de ano, são épocas que me deixam um tanto paralisada.
Hoje resolvi ler o que podia, e mais uma vez fico perplexa com o espírito desagregador que de uns tempos para cá resolveu reinar, em artigos totalmente preconceituosos, direcionados a segregação, ao ódio e a um sentimento que posso classificar de “NAZISTA”.
Sim, uso “NAZISTA” – palavra para mim repugnante – como exemplificação do que sinto neste momento, e para que o leitor seja tomado pelo “embrulhar do estômago” ou pela
“repulsa dos que não crêem em discriminações e generalizações sórdidas”.
Leio estarrecida o disseminar de ódio contra os Oficiais da PMERJ, nos mesmos moldes que Hitler o fazia contra Judeus, Ciganos, Negros, Adventistas, etc.
Vejo, mais uma vez assustada, repito - disseminar de ódio - contra todo aquele que resolveu prestar concurso para Academia Militar D. João VI, e ao final do curso depois de declarado Aspirante tornar-se Oficial. Ou contra o Soldado que resolveu ascender ao Oficialato.
São estes predadores de Oficiais, movidos pelo mesmo ódio que grupos que tem na Suástica um grande emblema, e assim atacam negros, nordestinos, homossexuais...
O nome desse desvairio para mim é:
PRECONCEITO ALIADO A BAIXA ESTIMA!

Fico imaginando que uma pessoa que coloca um artigo generalizando todos os Oficiais da PMERJ, é tão preconceituosa que não dá direito a um Praça - SubTenente - por exemplo, a ser promovido.
Sim, este que antes era um sujeito idôneo, correto, fazendo parte daqueles que “carregam a PMERJ”, no dia seguinte a sua promoção, será também promovido a canalha, sanguessuga, vagabundo... Sim, pois estes são os adjetivos que li qualificando todo e qualquer Oficial.
Quer dizer que um Soldado, Cabo, Sargento, não tem direito a estudar, fazer os cursos e tornar-se Oficial na cabeça dessa meia dúzia de pessoas com complexo de inferioridade. Começaria a desconfiar que isso é caso para consultório Terapêutico.
Mas, como não sou tão alienada quanto possa parecer, sei que isto é caso para que cada um de nós pense e repense:


QUAIS SÃO OS GANHOS, QUANDO SE INSUFLA A IDÉIA DE
PARTIR A PMERJ???

QUEM ESTÁ LUCRANDO COM ISSO???

QUAIS OS INTERESSES ATRÁS DE JOGO DE PALAVRAS, INCISIVAMENTE
PRECONCEITUOSAS???


Não posso imaginar que diferentemente de qualquer segmento da sociedade, a PMERJ não seja mesclada de pessoas com todo tipo de caráter e personalidade.
A PMERJ é uma Instituição que tem em seus quadros: Ótimos Praças e Oficiais, Péssimos Oficiais e Praças, e Magníficos Oficiais e Praças.
A PMERJ é constituída de pessoas, com todos os defeitos e qualidades inerentes aos seres humanos, independente de hierarquia.
A PMERJ é composta por homens e mulheres de nossas famílias: Coronéis, Sargentos, Tenentes, Cabos, Capitães, Sub Tenentes, Soldados: ninguém foi recrutado em MARTE ou morava em algum anel de SATURNO.
Vieram de nossas casas, de nossos ventres, de nossas camas.
Caso tombem em combate, são MORTOS e não ABDUZIDOS!!!!
Do contrário, não seriam da Raça Humana os homens e mulheres que bravamente, constituem o quadro de Oficiais e Praças da MUI DIGNA E RESPEITÁVEL POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO”.

BOM SENSO, é o mínimo que posso humildemente pedir à todos.

DESCONFIEM DE QUEM DE MANEIRA INSISTENTE DENIGRE, SEGREGA E AMALDIÇÔA...

QUEM HOJE DÁ MARGEM A SER USADO, AMANHÃ PODERÁ SER A VÍTIMA DESTE MESMO GRUPO.

LUTE POR SEUS DIREITOS, MAS USE O QUE NINGUÉM PODERÁ TIRAR DE SI: SUA INTELIGÊNCIA !!!

Um abraço,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

11 comentários:

Coronel Paulo Ricardo Paúl disse...

Cara Maria Christina:
Bom dia!
Parabéns pelo posicionamento.
Todos nós, Oficiais, Praças e Cidadãos Fluminenses que desejamos mudar a insegurança pública vivenciada no nosso estado, precisamos estar atentos aos posicionamentos de quem tem interesse em manter o status quo.
Sóa a nossa coesão poderá mudar esse quadro, sendo certo que o mal se associa para ter força e poder, portanto, para vencê-lo, o bem precisa fazer o mesmo.
O jornalista Gustavo de Almeida publicou no seu blog pessoal um ótimo artigo sobre a necessidade da sociedade se unir à POLÍCIA MILITAR.
Vamos em frente!
Juntos somos fortes!
Paulo Ricardo Paúl

Anônimo disse...

Dona Cristina

Um texto muito bom. Sem demagogias.
Parabéns,continuem escrevendo!

Anônimo disse...

Senhora.

Oficiais e praças sempre foram assim. Um culpando o outro.
Estamos vendo que nós praças como estamos em número maier ~sempre falamos mau de Oficiais que muitos são amigos. Temos muitos colegas que não podemos confiar e isso ningfuém tem coragem de dizer.
A senhora falou tudo tem praça e oficial de todo tipo mas precisamos ficar juntos por causa do aumento. Não recebo para sustentar minha familia e faço bicos. Obrigado pela senhora.

Cabo endividado.

Anônimo disse...

Cara Christina, belíssimo texto. No entanto, cabe ressaltar, que essa cisão em sua maioria parte dos Oficiais. Vimos recentemente o exemplo na triste festa (que deveria ser de confraternização) do 31° BPM onde os Oficiais isolaram suas famílias e se deram um tratamento diferenciado. Fale em união entre Oficiais e Praças lá no 31° BPM e verá a resposta! Exemplos e decisões devem partir de cima, caso contrário nenhum efeito terão.

MARIA CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Caros amigos:

Gostaria de agradecer os comentários:
1- Sr. Cel Paúl: obrigado pela força de sempre!

2 -Anônimo I: continuarei comentando e peço que continue lutando!

3 - Anônimo II: Sr. Cabo, realmente o Sr. entendeu bem a minha colocação. Saiba que de Soldado a Coronel, uma grande maioria está endividado!
Então resta-nos lutar por melhores salários!

4 - Anônimo IV: Sr. Tem toda razão quando fala da tão comentada festa de Natal deste Batalhão. Mas veja bem: parece que isso não aconteceu em outros Batalhões, e caso tenha acontecido só tenho a dizer que é deplorável.
Comentei outro dia, que li em um Jornal no Segundo Caderno que as festas de Casamento ditas "chiques" agora tem área VIP! Era só o que faltava!
Felizmente este tipo de atitude não é comum nas Festas de Final de Ano. Lógico que em todas as festas existem grupos que se formam, conforme os contatos pessoais, alguns ficam: mulheres de um lado, homens de outro... Isso sempre acontecerá, pois as pessoas constumam em festas se unir para conversar, conforme afinidades. Mas área VIP, para mim soa para lá de "Brega".

Um abraço,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

Anônimo disse...

A senhora fala que não aconteceu em outros batalhões, mas acontecem coisas PIORES neles. Procure se informar sobre o 14 BPM onde infelizmente trabalho e descubra as barbaridades cometidas pelos animais que se intitulam oficiais ali! Não é de graça que todos nós praças detestamos esse batalhão, assim como muitos outros. É fácil criticar o praça por resolver falar algo em uns blogs, passando a mão na cabeça de oficiais despreparados que em vez de dialogar nos tratam como animais e apenas a base do RDPM e da truculência.

Já entretanto que criticar em blogs parece incomodá-la, gostaria que comentasse aqui também o que pensa dos milhares de ataques generalizantes e muitas vezes infundados que o maj Wanderby faz ao delegados e policiais civis nos blogs dele (blog maj wanderby e 200 anos da PMERJ). Nesses casos não vai chamar o tal major cheio de dores de cotovelo de nazista e tudo mais que aqui acusa os praças de serem?

Os oficiais já fazem uma PMERJ de dois pesos e duas medidas onde eles só tem direitos e o praça todos os deveres e apenas o direito de se ferrar. Vamos estender essa lógica ao seu blog?

MARIA CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Caro Anônimo V:

Não chamei todos os Praças de Nazistas, chamei sim de Nazistas, aqueles que pregam o ódio, inclusive a morte de Oficiais.
Jamais chamaria o Major Wanderby de Nazista, pois o fato de ele discordar de procedimentos da Polícia Civil,é um direito. Nunca vi o citado Major, pregar a morte de nenhum companheiro, civil ou militar. Inclusive, sou grande admiradora do Sr. Maj Wanderby.
Sr. Anônimo: divergimos de opinião, não sou sua inimiga!
Não poderia generalizar de maneira alguma, até porque, tenho em minha família Praças, que convivem de forma pacífica com Oficiais.
Agora: entendo a sua revolta, talvez mais do que você imagina. Não porque o conheça, mas sim por você representar um Praça do 14º BPM.
Diferentemente do que você pensa sobre mim, tenho grande admiração por todos aqueles que bravamente trabalham neste Batalhão, pois imagino as dificuldades que muitos passam.

Com meu respeito!
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

Anônimo disse...

Sra. Maria Christina,
Desculpe-me, mas sendo esposa e mãe de oficial parece que vive meio fora da realidade, ou melhor, desconhece a realidade do praça. Claro que não podemos generalizar, mas podemos enquadrar 90% dos oficiais QOC como ditadores arrogantes e prepotentes que só sabem pisar e humilhar!

MARIA CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Caro Anônimo VI:
Boa Tarde!

Sou mulher e mãe de Oficiais, e com bastante orgulho. Como também com bastante orgulho sou tia de Praças.
Veja bem: quando meu filho, o Oficial nasceu, foi afilhado de Batismo de meu sobrinho que já era Praça, o mais velho.
Quando minha filha Camila nasceu, foi afilhada de Batismo de meu sobrinho mais novo, que também já era Praça. Minha filha já faleceu, mas o amor e a integração de meus sobrinhos conosco, continua a mesma.
Por isso, caro Anônimo VI, conheço muito bem a vida de um Praça da PMERJ, até porque meus sobrinhos não tem casa própria, levam um vida bastante modesta e de certa forma o que me faz entrar nesta luta por melhores salários e condições dignas de trabalho, é o que vejo filho e sobrinhos passarem
Ah! Sou madrinha de casamento de um deles.
Como pode observar, ser mullher e mãe de Oficiais, não torna-me uma pessoa fora da realidade. Inclusive, estou mais dentro dessa realidade, do que muitos pensam.
Como pode ver, vivo o dia à dia do Praça da PMERJ!

Um fraterno abraço,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

Silvana disse...

Amiga, como sempre és sensata, inteligente, realista... me fez lembrar das suas postagens na Tropa do Wagner Montes!!!

Sua presença e inteligência incomodava muita gente. Depois que deixaste de postar, os invejosos foram embora... parecia que respiravam aliviados!!! Mas como faz falta suas observações!!

Volte amiga, os mais antigos foram e eu permaneço (de teimosa que sou!) mas com a esperança de tê-la como aliada!!

Bjs e parabéns pelo nível e objetivos do seu blog!!!

Silvana Lanzieri.

MARIA CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Amiga Silvana:

Como fico feliz em te ver aqui!
Somos (nós duas) a imagem do NÃO preconceito.
As pessoas me imaginam como tendo uma vida de rainha e sendo fora da realidade: acham que não conheço ou frequento casa de Praças.
Fala sério: bem que eu queria umas mordomias, mas ando acreditando que só em outra encarnação!
Aquela velha TROPA não existe!
Viu? Até os simpáticos ratinhos sumiram...
Vou voltar a postar , mas estou em uma fase difícil com problemas de saúde na família.
Quando eu for ao Rio com tempo, vou te ligar.
Seja guerreira e segure aquela TROPA!
Um beijo a você e nos "Dennis"!!!!
CHRISTINA ANTUNES FREITAS