sábado, 13 de novembro de 2010

QUERO MINHA VIDA DE VOLTA!


São momentos de uma solidão tão aguda, que realmente não sei mais descrever como realmente eles se impõe... Qualquer tentativa de colocar no papel ou falar sobre eles, é muito pobre, diante do infinito vazio que tenho sido envolvida. Falta-me esperança, falta-me alegria, falta-me compartilhamento de desejos, enfim, falta-me vida “vivida de verdade”.
Descobri, à tempos, que sou uma grande enganadora. Praticamente uma estelionataria de sentimentos e dos momentos de imaginária alegria.    Brinco, sorrio, conto piadas, faço graça, mas sou uma grande farsante. Irremediavelmente solitária,  é o que sou.
Um indivíduo em solidão, nunca seria esta pessoa que inventei e mostro aos outros.  Uma “mulher só”, este é meu arquétipo  quando não existe platéia. Com a cortina fechada, não consigo encontrar  nada de mim.
Fatalmente,  acontecem dias em que acabo me sentindo um grande lixo.   A salvação é que sou tão grande, que seria impossível jogar-me na caçamba do caminhão da limpeza urbana. Sorte de quem faz reciclagem, pois sofreriam um grande susto,  ou mesmo,  desapontamento  ao encontrar-me em um lixão: não haveria o que reciclar.   Tá bom... Talvez gordura: dizem que fazem sabão com ela. Pode ser!
É  desconfortável o sentimento, que não há nada que possa de alguma forma te alavancar, te catapultar,  para um ponto onde esteja escrito: esperança...
É interessante  quando o meu médico tenta ministrar algum medicamento para a dita Depressão, que  virou moda ser diagnosticada em todo mundo. Grande parte das pessoas estão levando um carimbo de “DEPRESSÃO”, na testa.   Diante da minha recusa em fazer uso de remédios, sou logo rebatida com:
- Minha filha, existe momentos em que precisamos descansar algumas partes do cérebro...
Já fiz cara de paisagem, já fiquei sem contestar a afirmação, já tentei tomar o remédio,  mas já falei, também:
- Então Doutor,  não adianta. Meu cérebro anda em constante descanso.   Bem, para falar a verdade, anda meio morto!
Não!   Não quero a alegria forjada dos remédios, a esperança medicamentosa... Não quero este “enredo” da Depressão, que tentam me enfiar goela abaixo.
Sabe o que quero?   A minha vida de volta!  Levaram embora.   Fui roubada!
Tá certo! Podem me devolver  aquela vida que eu tinha! Aquela mesmo –  vidinha medíocre… Vida de quem era enganada, que via tudo passar à frente, sem poder interagir com nada que  desse prazer, que não fosse o ato de  maternar.    MATERNAR, FOI  O  QUE ME SALVOU!
Vida, em que não havia o menor peso o que eu dizia…  Mas isso não me importava. Sabe por que? Eu tinha para quem dizer alguma coisa, mesmo que isso não mudasse nada...
Ser enganada por qualquer pessoa,  era uma coisa que doía.  Hoje, descobri que caso aconteça, não dói mais.   Tornei-me,  “CHRISTINA, A PATÉTICA”!
Escrever é o que ainda me dá algum prazer, pois acaba sendo uma catarse. Como não tenho nenhum trato com a Literatura:  escrevo o que quero,  sem me importar muito com a forma ou   conteúdo.
Escrever vai me colocando um tanto mais centrada, como neste momento.   Já não choro!   Ah, é um ganho!
Vou deixar aqui a poesia de uma música, que amo perdidamente!  Normalmente esta  canção me remete a saudade…  Porém saudade com esperança!
.
TERNURA ANTIGA
Dolores Duran e Ribamar
.
Ai, a rua escura, o vento frio
Essa saudade, esse vazio
Essa vontade de chorar.
Ai, tua distância tão amiga
Essa ternura tão antiga
E o desencanto de esperar.
Sim, eu não te amo porque quero.
Ah, se eu pudesse esqueceria.
Vivo, e vivo só porque te espero.
Ai, esta amargura, esta agonia...
.
Aff! Agora só me resta o Lexotan!
.
Abraço fraterno,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

9 comentários:

Anônimo disse...

Meu Deus quanta angustia! Christina faça um bem a você,peça a misericórdia de Deus, tão somente a ele, quantas vezes for necessário. Aceite e difícil. Você esta tendo uma oportunidade unica de ascender espiritualmente aproveite. E vc vai ser atendida.
abs. Um amigo BM Espírita Cristão.

CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Meu amigo:

Pedir misericórdia a Deus, ja faz parte do meu cotidiano...

Sei que o texto foi pesado, porém, creio que uma grande parte das pessoas tem essas angústias em algum momento da vida, a diferença é que expuz o meu momento. O despudor faz parte da catarse!

Beijos,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

APRENDENDO E EDUCANDO disse...

Sei exatamente o que sente...quando encontrar o caminho de volta pra vc, por favor divida comigo....

Anônimo disse...

ENFIM CONHECI ALGUÉM QUE SENTE E PENSA COMO EU... JÁ TE AMO SEM NUNCA TER-TE VISTO! AYRTHON JUNYOR

Anônimo disse...

ENFIM CONHECI ALGUÉM QUE SENTE E PENSA COMO EU... JÁ TE AMO SEM NUNCA TER-TE VISTO! AYRTHON JUNYOR(85)852985..

Anônimo disse...

Nao te julgo pelo que sentes,pois sou como vc neste momento. Ja tentei ja fiz de tudo pra ser uma pessoa feliz alegre de bem com a vida. Mas as pessoas ao meu redor nao me ajudam, para o meu marido, sou esse lixo que vc descreve ,nem ao menos para resiclagem eu sirvo, para os meus filhos sou aquela bruxa dos contos de fadas,para a minha mae sou uma louca que nem cuidar dos filhos. Bom enfim minha cabeça fica fazendo um reboliço. Que as vezes chego a pensar que se eu nao existise a vida deles seria maravilhosa.ja que lixo como eu nao serve nem para resiclar. Bjs amiga estamos no mesmo barco

Anônimo disse...

Eu só queria minha vida de volta também! O que me dá mais raiva é que foi eu que coloquei a outra vida fora. O que me mata é o arrependimento, e eu odeio sentir esse sentimento, fico triste, choro e tento me esconder de mim mesma e dos meus pensamentos.

Helena Nogueira disse...

Aneleh disse...

Eu também me sinto assim e quero ardentemente a minha vida de volta.
Aos 7 anos de idade apareceu um anjo para mim e disse que iria tirar minha vida aos 40 anos e assim aconteceu.
Hoje estou com 55 anos e peço a quem puder ouvir, quero minha vida de volta.
Um alivio eu posso te passar Christina - se sinta feliz por ter seu marido ao seu lado, você tem alguém para conversar.
Sou uma pessoa viuva já perdi meu marido há muitos anos e essa lacuna ainda não foi prenchida e o que me leva a continuar a acreditar que um dia terei ela de volta é minha criatividade , meus joguinhos e também o que diminui a minha solidão é a arte que faço, pois sou artesã.
Quando a gente perde a vida, ou quando alguém lá em cima tira nossa vida carnal é como se fosse um vacuo, perdi tudo amigos, familia, dinheiro e trabalho. E isso tudo não porque pedi, foi tirado de mim bruscamente. Hoje choro muito, ninguém me escuta, porque esse choro está dentro de mim e assim o tempo voa.
As vezes acho que Deus está no controle mas as vezes não.

Helena Nogueira disse...

Aneleh disse...QUERO MINHA VIDA DE VOLTA

Eu também me sinto assim e quero ardentemente a minha vida de volta.
Aos 7 anos de idade apareceu um anjo para mim e disse que iria tirar minha vida aos 40 anos e assim aconteceu.
Hoje estou com 55 anos e peço a quem puder ouvir, quero minha vida de volta.
Um alivio eu posso te passar Christina - se sinta feliz por ter seu marido ao seu lado, você tem alguém para conversar.
Sou uma pessoa viuva já perdi meu marido há muitos anos e essa lacuna ainda não foi prenchida e o que me leva a continuar a acreditar que um dia terei ela de volta é minha criatividade , meus joguinhos e também o que diminui a minha solidão é a arte que faço, pois sou artesã.
Quando a gente perde a vida, ou quando alguém lá em cima tira nossa vida carnal é como se fosse um vacuo, perdi tudo amigos, familia, dinheiro e trabalho. E isso tudo não porque pedi, foi tirado de mim bruscamente. Hoje choro muito, ninguém me escuta, porque esse choro está dentro de mim e assim o tempo voa.
As vezes acho que Deus está no controle mas as vezes não.