quinta-feira, 14 de maio de 2009

13 DE MAIO DE 2001 - "ESPADIM DE TIRADENTES"

.
"ESPADIM DE TIRADENTES"
.
.

"

Foi exatamente em um "Dia das Mães", que ocorreu o dia 13 de Maio de 2001.

Como mãe do Aluno Oficial ANTUNES, que receberia o "ESPADIM DE TIRADENTES" naquele dia, estava eufórica!

Primeiro por ver meu filho alcançando o objetivo que um ano antes, enquanto fazia Faculdade de Educação Física, traçara para sua vida.

Na época foi uma mistura de espanto, com dor de cotovelo, pelo mesmo não optar fazer prova para o Corpo de Bombeiros...
Filho de um Oficial Bombeiro, meu marido Geraldo, jamais o induziu a ser Militar, e o nosso filho não queria a tal da “farda” de forma alguma!

Talvez a rigidez imposta em casa, – quem sabe? – o fazia pensar que fatalmente tudo, era fruto da Carreira Militar do Pai.

Um dia chegando em casa , conversou conosco:

- Ainda vou ser Professor de Educação Física, só que mais tarde! Agora quero fazer prova para a PMERJ.
Vou parar com a Faculdade e fazer um cursinho de Pré-Vestibular!

Ainda sob o impacto da decisão, tentamos ponderar que já estava com períodos adiantados na Faculdade, e nada sabia sobre a Polícia, apesar de seus primos mais velhos serem Policiais.
Inclusive um dos meus sobrinhos é padrinho de meu filho.

Creio que a admiração pelo do padrinho e pelo outro primo (que também é padrinho de Camila), e o fato de serem bem mais velhos que meu filho - e ainda assim muito amigos - foi decisiva para a opção dele pela PMERJ !

O pior dessa história: a primeira fase da Prova na UERJ, já havia encerrado inscrições e ele só teria uma única chance.

Mas não se deu por vencido, e perguntou-nos:

- Algum dia eu deixei de passar em alguma Prova?

Embora um tanto apreensivos, cedemos... Lógico que tentamos que ele ficasse seduzido pela Prova do CBMERJ, mas a primeira coisa que nos falou, foi :

- Muito bonito! Vou ralar o dia inteiro estudando. Tenho certeza que vou passar (sempre foi focado nos estudos), e ao final das contas ainda serei taxado como “Filhinho do Coronel” .
O pior de tudo, é que ainda vão dizer que entrei pela janela!
Tô fora dessa! Isso vai me perseguir a vida inteira!

Então foi fazer o Curso Bahiense, bem perto de casa e logo de cara já ganhou metade da Bolsa de Estudos. Começou com a turma que iniciou em J
aneiro, já nos meados de Maio...

Conforme estudava, logo notou que se na parte da tarde tivesse que revisar matéria ou tirar dúvidas em casa, teria problemas como: o latido de duas cadelas, telefone tocando, Camila cantando, eu reclamando... Seria difícil!
Então, assistia à aula pela manhã, almoçava em casa e voltava ao Curso onde ficava estudando na Biblioteca com a ajuda dos Monitores, até a noite.

Naturalmente dentro do Cursinho havia um grupo de amigos.
Conversando com um deles há poucos dias, o Leonardo - hoje Veterinário - , lembramos que deste grupo do Cursinho, meu filho foi o único que passou no Vestibular, aquele ano!
Os amigos, depois da aula iam passear em Shopping's, jogar Boliche, tocar violão... Menos estudar! No ano seguinte, caíram na real, tanto que Leonardo já se formou!

Finalmente veio a prova, e a classificação em 24º lugar! Lembram-se quando disse: sempre “foi" focado nos estudos? Então...

Entrando na "Academia D.João VI", nunca ficou em Prova Final, mas também não era nenhum “zero de turma”. A bem da verdade, sua classificação durante os dois primeiros anos , era lá pelo meio da Turma.
Bem que ANTUNES tentava me explicar que um décimo fazia uma diferença incrível, porém nunca engoli esta história direito. Mas como não ficava em Prova Final, já achava tudo ótimo!


Então voltando ao dia 13 de Maio de 2001, a VIBRAÇÃO, mostrou marchando forte e debaixo de chuva, com ORGULHO estampado na face, que estava na "APM D. João VI" , para fazer “a diferença”!


Claro que me debulhei em lágrimas, até
porque o período de adaptação havia sidorigoroso e bastante tumultuado.
Os “Veteranos” como sempre: sedentos!
A cada dia inventavam uma “brincadeirinha” nova, mas
lógico que sei que o “Bicho” de hoje será o “Veterano” de amanhã...

Porém para as mães, verem seus filhos esquálidos, era bem difícil...
Esta foto que meu filho dança com Camila no seu Baile de Debutantes em 2001, o "Espadim de Tiradentes", aparece bem!
.
Vejam como o Aluno Oficial ANTUNES estava magrinho nesta época!

Então, muita emoção naquele dia 13 de Maio de 2001!

Durante o Curso fui percebendo uma clara modificação em meu filho, que começou a sentir um tremendo amor pela PMERJ. Vibrava, como todos os colegas, com tudo que ocorresse...

A amizade do Alojamento, as brincadeiras infames, o tal Corridão (sem café da manhã), o refresco apelidado de “Êpa!” , as dezenas de cópias xérox das matérias (até hoje não entendo isso), tudo era motivação para debates, brincadeiras, disputas acirradas e um grande orgulho de fazer parte da "APM D. João VI "!

Fiz esta introdução, para “PARABENIZAR” a todos os Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro, que mesmo diante de todos percalços, principalmente diante da baixa remuneração percebida e do descaso com que a Sociedade Fluminense e os Governantes costumam brindá-los, jamais fogem ao combate!
Essa mesma Sociedade que tanto os olha com desdém, é a primeira a discar 190, e tendo de alguma forma o seu problema resolvido, muitas das vezes, nem um “muito obrigado” diz aos integrantes de uma Guarnição que os socorre!

Mas porque será que a Sociedade age desse modo?

Será uma antipatia, gratuita?

Naturalmente não é “gratuita”!
Essa antipatia foi forjada durante anos nas Redações dos Jornais, nas Edições Televisivas e com muita ênfase, nos Gabinetes Governamentais!
Os mandatários do Governo, fazem questão de menosprezar o Policial Militar!
A arrogância do ser humano, ajudou muito...

Homens e Mulheres da PMERJ quando acionados, o foco será sempre a solução ou mediação de “CONFLITOS” de toda natureza.
Desde a criança perdida, passando pela briga de vizinhos e lamentavelmente, o combate árduo contra o Narcotráfico.

Armas pesadas são utilizadas entrando no Rio de Janeiro de uma forma no mínimo: intrigante!

Como conseqüência desta espantosa “materialização” de armas no País, a vida de Policiais e civis são ceifadas...

Na maioria dos casos, uma das partes do conflito é penalizada, fora o Narcotráfico, é lógico!

A outra parte do litígio que foi prontamente atendida, deveria no mínimo escrever umas linhas ao Comando do Batalhão que foi acionado, agradecendo e nominando os Policiais pelo trabalho.

Porém, na grande maioria das vezes, não o faz!

No entendimento das pessoas, isso é parte da “Obrigação do Policial” !
Concordo que é, mas quando um cidadão é bem atendido, deve-se lembrar que: CORDIALIDADE É UMA VIA DE DUAS MÃOS!

Mas quando da entrega do "Espadim de Tiradentes" ao Aluno Oficial ANTUNES, eu como mãe, não tinha a menor noção do que viria pela frente!

Quando finalmente o Aluno Oficial ANTUNES, transformou-se em Aspirante GUSTAVO FREITAS, é que bateu o medo, as noites insones e a infeliz mania de tentar falar todo dia pela manhã com o filho, como se isso fosse praticamente um “Atestado de Vida”.
Sei que estes medos e angústias, passam por milhares de mães, pais, esposas e filhos...

Então hoje, quero estender meu abraço a todos aqueles que fazem parte desta Bi Centenária Instituição.

Do Recruta ao Coronel. Inclusive os que já estejam na Reserva Remunerada ou Reformados... Todos são PM’s !

Não posso esquecer-me daqueles que já não estão em nosso convívio, tendo prematuramente partido, em combate ou não... São centenas!


Às famílias enlutadas, o desejo que Deus os guie, e que reúnam forças para lutar pelo futuro, e por seus direitos.
Muitos Policiais Militares deram sua vida por essa Sociedade que tanto os maltratou!

Porém, da “APM D. João VI”, e do convívio de amigos de uma mesma Turma, quero lembrar com muita saudade dos Ten. MARCOS, Ten. MARCELO EUSTÁQUIO e Ten. BRUNO LATTANZI...


Três dignos Policiais, que detinham além da característica profissional de valores impecáveis, a máxima , de serem grandes AGREGADORES e IRRADIADORES DE ALEGRIA!
Eles já não estão conosco, mas certamente com muito orgulho, vibram e gritam:

.
POLÍCIA MILITAR!
.
VI-BRA-ÇÃO !!!

.
Hummm!!! Eu não agüento:

.
IMPÉRIO ÍMPAR !!!

.

Este RELATO , além do abraço aos

Policiais Militares do Estado do Rio de Janeiro,

é sem dúvida nenhuma,

uma forma pessoal de homenagear meu filho,

1º Ten GUSTAVO FREITAS que é, e sempre será,


"MEU GRANDE AMOR INCONDICIONAL" !!!

.

Fraterno Abraço,
.
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

10 comentários:

Paulo Ricardo Paúl disse...

Minha amiga:
Um lindo testemunho, parabéns!
Fico emocionado com o seu amor incondicional para com a Polícia Militar.
Aceite os nossos agradecimentos.
E, não resistindo:
"O IMPÉRIO É ÍMPAR, MAS O PODER É PAR!"
Paulo Ricardo Paúl
Coronel de Polícia
Coronel Barbono

CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Amigo Paúl:

Agradeço muito o comentário e os elogios, e por profundo respeito a nossa amizade, não vou contestar sua máxima!

-Par!
-Impar!
Então: um , dois, três e...

Abraço fraterno!
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

Anônimo disse...

CONHECI ASENHORA E O SEU ESPOSO NA ACADEMIA. MEU FILHO TAMBEM ESTUDAVA LA. HOJE NAO ESTAO OS TENENTES QUE A SENHORA FALOU SOBRE ELES MAS ESTAO COM O SENHOR JESUS.
TAMBEM SEI QUE A SENHORA AJUDOU MUITOS COLEGAS DO MEU FILHO E DO SEU FILHO. TINHA CADETE QUE NAO PODIA COMPRAR NEM MEIA E NEM CAMISETA E A SENHORA E SEU ESPOSO AJUDAVAM MUITO.
MEU FILHO ME FALOU QUE A SUA FILHA QUE MORREU ERA LINDA E SIMPATICA ETAO MEUS PESAMES. NAO VOU DAR MEU NOME POR QUE O MEU FILHO NAO PODE NAO GOSTAR QUE FICO NA INTERNET.
UMA MAE DE TENENTE.

CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Sra. Mãe de Ten.PM

Fico bastante feliz por comentar em meu Blog, e de saber que seu filho, pelo que entendi foi da mesma Turma que o meu!

Não se importe com esta implicância dele com sua entrada na internet, na realidade meu filho também não gosta que eu me exponha.
É uma forma de proteção!
Daqui a pouco ele se acostuma com a idéia!
Se por acaso for de sua vontade, continuaremos a conversar: meu email é antuneschristina@ig.com.br

Email é território exclusivo, e nossos Tenentes não saberão que conversamos...

Abraço fraterno,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

Ítalo disse...

Tia, quase chorei de emoção, sou da turma do Antunes e quando a senhora foi narrando os fatos, principalemnte de quando ele estava no 1º ano, pude me ver e reviver muitas coisas que ele tb viveu, afinal, éramos do mesmo pelotão. A APM D. João VI e o CMRJ foram as melhores fases da minha vida. Também conheci sua filha no CMRJ, saudades!
Deus te abençoe!
Um abraço!

CAP PM ÍTALO (Aluno Oficial 0140)

CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Cap. Italo!

Nossa! Lembro com bastante clareza de voce, de seus pais, pois fui ao Hospital visitá-lo em uma ocasião.

Estive lembrando-me esta semana, de quantos "Bailes de Debutantes voces fizeram parte... Nossa, não perdiam um!

Hoje, como Capitães, o peso da atividade profissional já pesa, pois todos voces, mesmo os que estão em atividade meio, são homens e mulheres que vivem sob constante stress.

Realmente Camila me falava que sua "fama" no CMRJ era de um grande aluno, inclusive na Educação Física, pois fazia parte da Seleção do CMRJ!

O tempo não volta atrás, mas caso voltasse, gostaria muito de poder vê-los na Academia, brigando por bobagens, ficando em forma enquanto uma FEM engraxava coturno de veteranos (haviam "ventado" o quarto deles,kkk), ou mesmo esperando meu filho na Saída da APM, pois no princípio o mesmo não possuía carro.

Ah! Quantas camisetas brancas de colegas de ANTUNES, não acabei lavando, pois na ânsia de vir embora para casa, tudo vinha embolado na mala...
CREDO, ele e Eustáquio andaram muito tempo, cada um, com o pé de coturno trocado: direito de um, esquerdo de outro. Meu filho, pé 42 , e Eustáquio pé 43...
Um dia olhando aquele par de coturno estranho, é que percebi... Eles não estavam nem aí! KKKK
Saudades dessas bobagens!

Um beijo bem grande em voce, sua família, e que o PAI ilumine sempre seu caminho!

Abraço fraterno,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

Anônimo disse...

Só hoje eu tive a oportunidade de ver esse testemunho, que por acaso achei no google, ver que a senhora teve a mesma reação que a minha mãe quando eu falei que ia fazer prova para PMERJ, que esse texto foi posta no dia seguinte ao meu ESPADIM, só quem passou por uma adaptação, de turma ímpar, ou então acompanhou o sofrimento do filho sabe a importância desse momento, a minha companhia, TROVÃO 2009, teve em boa parte do primeiro ano como comandante de companhia o CAP PORTUGAL, da mesma turma do filho da senhora. Enfim meus sinceros cumprimento.

Como a senhora, eu também não aguento:

IMPÉRIO IMPAR!

CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Caro Oficial da Turma TROVÃO 2009:

Fico muito feliz em ver que o que escrevi é o que passa pela cabeça das mães dos Policiais Militares, quer da APM como do CFAP.

Ah! E saber que o Império Impar está lendo meu Blog é o máximo!

Parabéns pela carreira, e creio que já falo com um Tenente, certamente.

Então vamos combinar: o Sr. não é só um Tenente, e sim um Aspirante a Capitão!

Império Impar! HURRA!!!

Abraço fraterno,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

Anônimo disse...

Cara Christina
Fiquei bastante feliz ao ver seu comentário descrevendo a saga que é se formar na APM. Eu me formei na antiga EsFO (atual APM) ...rs...rs..
Por motivo de acidente grave em serviço, fui reformado no posto de 1º TEN PM, ostentando com orgulho as duas medalhas que consegui ao final do CFO. Quis a vida que eu deizasse de usar farda, mas meu amor pela gloriosa PMERJ é inquebrantável. Tenha muito orgulho de seu filho. No meu tempo era quase desumano concluir o CFO, mas vibrávamos muito e tínhamos muito orgulho do nosso espadim. Havia até uma brincadeira: se a mãe e o espadim caírem no chão, salva o espadim....rs...rs...
Concluí Direito e hoje ocupo um cargo de relevo na União, mas nunca deixei de colocar na parede o meu diploma de Apirante e minha carta patente e sempre coloco meu diploma de Mestre-Atirador em destaque. Pergunta ao seu filho o que é e ele a responderá.
Parabéns pelo seu filho, que eu sei, com informações de um comandante que é Ten-Cel da minha turam, que é um grande Oficial.
Minhas estimas pela sr.ª e pela sua família.
Ah..ia esquecendo: sou turma Par...rs...rs..
Grande abs

CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Sr. 1º Ten PM, dia 20/5/2011,

Quando as vivencias são positivas em nossa formação, certamente ficarão para sempre sendo um grande motivo de orgulho!

Sua vibração ao falar de seu tempo passado na EsFo, é determinante para percebê-lo um grande cidadão! Parabéns!

Ah! Meste Atirador, como diria minha Camila: é tudo... rs rs
Sei da importância e do treinamento para ser um Mestre Atirador.

Fiquei muito feliz com sua leitura, e espero que passe por meu Blog de vez em quando!

Obrigado pelos elogios ao meu Capitão!!!

Abraço fraterno,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS