terça-feira, 7 de agosto de 2007

VAMOS SONHAR E REALIZAR JUNTOS !


Bom dia!
Venho pensando muito insistentemente na família Militar Estadual. Tentei visualizar como está sendo a vida dos companheiros Policiais e Bombeiros casados e com filhos. Uma pedreira com certeza....Principalmente nos subúrbios, zona oeste e nas periferias de outras Cidades deste Estado, onde normalmente moram esses Praças e Oficiais, a vida cada dia mais vai ficando dura.Imaginem o que é você receber salário e ter que subsidiar o seu transporte até o trabalho, por vezes tendo que pegar mais de duas conduções...Militares Estaduais não tem vale transporte...
Que percentual deste salário que tem que ser guardado para essa locomoção? Faz falta este dinheiro. Por vezes é aquele que seria deixado em casa para a compra uma carne ou uma fruta.
Ainda não chegamos a morar em barracas dos Sem Teto, até porque não podemos: portanto ou pagamos aluguel/financiamento ou moramos junto à sogros, cunhados...Naturalmente a vida familiar do Policial e Bombeiro, sempre fica prejudicada, pois a cada dia que passa, o dinheiro não dá para o mercado ao final do mês. Na realidade a vida conjugal dos nossos colegas fica reduzida a: cara feia quando chega e cara feia quando sai.
Será que estou culpando às esposas? Não! Estou constatando o quanto é difícil conviver com uma pessoa que vive em situação de risco o dia inteiro, não é bem recebida em lugar nenhum (no caso os Policiais), pois acabam sendo um agente do NÃO.

-Quero o meu direito a fumar fumar maconha! - Não!
-Vou atravessar fora da faixa! - Não!
-Coloco o som nas alturas e vou ouvir meu funk proibidão! - Não!
-Vou passar rapidamente por esse cordão de isolamento! - Não!

Normalmente o que tem acontecido é um número enorme de uniões desfeitas, pois o limite de tolerância da família vai acabando. Esse homem que só vive dizendo NÃO fora de casa, parece ter que vestir um personagem e continuar dizendo NÃO!

-Marido vamos este mês no almoço da Igreja (não estou falando em churrascaria)? - Não!
-Pai, o pessoal do Colégio vai à uma excursão para ver o Cristo Redentor, é barato! - Não!
-Querido, as crianças estão precisando de roupa! - Não!
-Pai, é a festa de quinze anos da minha amiga. Preciso pelo menos de uma blusa nova! -Não! Não! Não! Não! Não! E Este homem vai dizendo NÃO e continuando com cara feia. Aff!Naturalmente a companheira deste homem, tem um dia que não aguenta mais ir ao mercado na bendita compra de mês, e ter que passar pela raiva de ver que a cada duas coisas que coloca no carrinho, uma o Sr. seu marido tira fora e coloca de volta à prateleira. Parece besteira? Ano após ano? Difícil o casamento resistir.
Difícil esta mulher ficar ouvindo as vizinhas contarem os passeios que fizeram, o creme que compraram para passar no cabelo, ver as novelas da Globo em que qualquer indivíduo por mais pobre que seja, tem uma vida melhor do que a dela. Isto sem dizer naquela lingerie que esta mulher sonha em comprar, para talvez "aquecer" o casamento, e na realidade: não compra nunca. O dinheiro não dá.
Filho doente? Muita oração para isso não acontecer, pois além de termos poucas Unidades Hospitalares, levar filho ao médico demanda dinheiro para passagem, o famoso refresco EPA, para enganar o estômago da criança (a demora para as consultas é muita), e o remédio que tantas vezes não é comprado na sua totalidade. Olha-se a receita, e somente aquele que não tem jeito de ser substituído por chá, é adquirido com cheque pré-datado... Isto acontece com a consulta da criança, com a consulta da esposa do militar e com a do Militar.
Tudo isso vai cansando, até porque essa mulher ainda ouve -" Nossa! Mas como está acabada... Tão mal arrumada! E é casada com um Sargento da PM". URGH!
No imaginário das outras famílias que circundam as nossas: nossos maridos ganham muito bem. Afinal são de Soldados a Coronéis, homens que tem uma patente... E assim esta família deixa de ir a aniversários por falta de roupa para o evento e por não poder comprar a famosa "lembrancinha". As crianças só conhecem filme de Homem Aranha quando alguém compra um DVD (pirata) e chama o menino para ver em sua casa...E desta forma a vida vai passando...
Esse casamento ou se desfaz ou vai sendo empurrado com a barriga. E "eventualmente" por causa do stress diário deste homem: somente com a barriga mesmo! (Ihhh....eles vão odiar esta minha "reflexão"!)
Conclamo aquelas que resistem à vida de mulher de Militar Estadual, que tenham um pouco de paciência. Mais paciencia ainda do que a usual: anos após anos sublimando...
Tentem de alguma forma ajudar e entender esses homens que se acostumaram a dizer NÃO. Ajudem-os a desarmar este personagem que eles tem que vestir dia após dia. Vamos junto com esta Mobilização por Melhores Salários e Condições de Trabalho, fazê-los sonhar novamente, e com isso lutar de maneira PACÍFICA, ORDEIRA e AUSTERA para o quer antes poderia ser um sonho, torne-se REALIDADE!
E vocês sabem amigas...Sonhar junto é muito bom e faz bem para a pele!
Um abraço e, JUNTOS SOMOS FORTES!
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

3 comentários:

Roberto disse...

Confesso que esse homem aqui que vive dizendo NÃO, foi às lágrimas ao ler seu texto. Lágrimas por perceber como fazemos mal, sem perceber, às nossas famílias; lágrimas por perceber ser apenas mais um, dentre tantos, todos forjados iguais pelas circunstâncias da vida, quando há alguns anos atrás embalava tantos sonhos; lágrimas por perceber que alguém ainda se importa. Nesses dias de insônia, que nem mesmo o remédio "tarja preta" nos traz o sono, é confortante um texto de apoio, lúcido, humano acima de tudo. Obrigado!

MARIA CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Sr. ROBERTO:

Fico feliz em perceber que de alguma forma o que escrevo possa tocar positivamente alguém.
Vejo que o Sr. é certamente como a maioria dos homens de bem, e que como todos HOMENS DE BEM será beneficiado por Deus, tenha bastante fé nisso!
Lógico, que esperamos que o Sr. Governador, também olhe com clareza as condições que hoje vivem os Militares Estaduais.
Muito obrigado, e um grande abraço à família!
JUNTOS SOMOS FORTES!
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

Anônimo disse...

Meus olhos também se encheram de lágrimas.
Maj PM